RADIOCORREDOR: André Midami, o futuro do entretenimento e o rádio

Translate

RADIO CORREDOR - MONTAMOS A SUA willian.radio@gmail.com

TENHA SUA PRÓPRIA RÁDIO. MANDE UM WHAT´S UP 21 982240993
MONTAMOS A SUA RÁDIO, ENSINAMOS A OPERAR.

INVESTIMENTO: R$ 99,00 ÚNICO PARA INSTALAÇÃO E R$ 26,00/ MÊS. Também instalamos sua "rádio de poste" valores comerciais sem absurdos. Quer investir em rádio, fale conosco. VOCÊ MESMO OPERA E COLOCA EM SEU BLOG.

Acesse: https://www.facebook.com/CRIARMINHARADIO

sexta-feira, 22 de abril de 2011

André Midami, o futuro do entretenimento e o rádio

Midami, o futuro do entretenimAndré ento e o rádio.

Por detrás de tudo que esta acontecendo no mundo de hoje existe uma anomalia perigosa : a criatividade esta a serviço da tecnocracia e da tecnologia em vez da tecnocracia e da
tecnologia estarem a serviço da criatividade .
Eu vou abordar este assunto através da industria da musica porem o que acontece com ela , esta acontecendo ou va acontecer com muitas outras industrias criativas…
Ha 20 anos atrás , Leo Burnett um dos gigantes da publicidade mundial , sediado em Nova Iorque , advertia que ele retiraria seu nome da porta da sua companhia no dia em que seus executivos fossem gastar mais tempo tentando fazer mais lucros e menos tempos em criar excelentes campanhas .
Ha uns 10 anos atrás alguns estudantes , ao serem entrevistados na televisão por um repórter que lhes perguntavam “…O que você pretende fazer na vida… “ respondiam “ …Francamente a gente não sabe , a gente quer trabalhar em qquer coisa que dé muito dinheiro…”
Durante o transcurso destes ultimos anos , estas manchetes foram publicadas nos jornais e revistas em diversos paises:
- A industria automobilística norte americana esta falida por ter ficada na mão de financeiros que não entendiam de veiculos .
- A industria cinematográfica deste mesmo pais que detem mais de 75% do mercado mundial produz violência porque violência eh rentavel .
- As grades de programacao das televisoes permanecem congeladas desde 1970 , com suas eternas novelas chorando seus mesmíssimos dramas , por receio de efetuar mudancas .
- As relaçoes entre as agencias de publicidade e seus clientes cada vez mais se resumem a questões envolvendo descontos sobre tabelas e cada vez menos em qualidade de criatividade.
Se a qualidade da criatividade desapareceu como fator preponderante dentro de muitas empresas se deve ao fato que os executivos criativos perderam o poder que tinham ate então e será interessante acompanhar o percurso que levou os líderes criativos da industria fonográfica a perder o poder ….e quais foram as conseqüências deste desastre , exemplo perfeito de um assassinato cometido pelos tecnocratas que se apoderaram do centro das déçisoes .
No inicio dos tempos modernos , no final do século dezenove , o “ music business “ estava não mãos das editoras de musicas : as vendas de partituras eram a única maneira que as pessoas tinham para se familiarizar com a musica que eles gostavam e que tinham escutado no radio ou na rua .
Foi somente no inicio do século vinte que surgiu a industria fonográfica chamada pelos seus precursores “ a industria da felicidade humana:  “Eles previam um futuro educacional , de grande alcance ,  para esta nova midia gravando principalmente  literatura , musica clássica , e opera .  As companhias eram o que chamamos , hoje , de independentes , eram companhias locais e a competição entre elas era ética , os artistas contratados eram poucos e eram orientados por seus donos que tinham um bom conhecimento da musica e sobretudo um bom senso dos negócios .
Foi a partir dos anos trinta que as companhias multinacionais se interessaram em fundar companhias fonográficas ( as americanas RCA e CBS , a Inglesa EMI , a Holandesa Philips eletrônica e finalmente a Alemão Siemens ) .
No entanto eles consideravam a sua entrada neste setor como uma maneira de trazer um brilho cultural a sua imagem de marca perante o publico….. era uma politica de relações publicas .
A Siemens , por exemplo através de investimentos importantes e a fundo perdido gravou um fantastico catalogo de musica clássica tanto em qualidade quanto em quantidade sob a marca Deutsche Grammofon,  por determinaçao pessoal do seu dono o Sr Siemens…queria ele ser admirado…
No entanto foi a EMI \Odeon em 1953 que deu o sinal de partida para que a industria se tornasse internacional e competitiva ….abrindo subsidiaras na Europa , na Asia , na América latina e finalmente comprando nos estados unidos a Capitol records , uma companhia independente de grande sucesso e dedicada exclusivamente a musica pop ( Frank Sinatra , Nat King Cole etc…. ) .
Para responder a esta iniciativa Philips e Siemens fundiram suas unidades fonograficas e abriram subsidiarias nos paises onde suas operações basicas já estavam instaladas . RCA e CBS iniciaram sua expansão instalando companhias na Inglaterra e América latina .
Foi a partir do ano 1955 com a explosão do rock’n roll sob a liderança do Elvis Presley contratado da RCA… que vieram mudanças dramáticas através de vendas que atingiram quantidades estratosféricas , os lucros eram grandes e a industria fonográfica , a partir dali tornou se o centro do music business .
A explosão musical era acompanhada por varias revolucoes tecnológicas : a gravação em estéreo , o aparecimento do LP 33rpm com capas cada vez mais criativas e do 45rpm substituindo o 78rpm de cera levando a qualidade sonora a níveis desconhecidos ate então .  A industria fonográfica era uma industria de ponta….no conteúdo e na forma .
Tamanho era a rentabilidade que os conglomerados de comunicação se precipitaram para comprar firmas independentes em todas partes do mundo , inclusive nos USA , investindo toneladas de dinheiro .
Os custos de gravações se tornaram cada vez maiores , os adiantamentos aos artistas e os custos de publicidade alcançaram níveis recordes , os salários dos lideres criativos chegaram aos milhões de dólares anuais  e acabou-se a entidade fonográfica como elemento de relacoes publicas. Estes conglomerados tinham suas ações em Wall street e Wall Street exigia e exige um retorno rápido sobre investimentos.
O lucro passou a ser uma prioridade imediata …..
Muitos lideres criativos se consideravam aristocratas acima do bem e do mal e olhavam o conceito da “ lucratividade “ como um componente pouco excitante intelectualmente e porque não dizer , bastante vulgar .  Componente este com o qual eles não queriam lidar e nem aprender a lidar, porquanto seus salários continuem sendo milionarios
Foi por esta brecha que os tecnocratas entraram em campo para tomar a liderança com a seguinte bandeira : “ Nós , os não criativos…nos somos melhores para administrar as industrias criativas porque nos não nos consideramos aristocratas …e não temos medo de nos sujar as mãos , e até desfrutamos lidar com a parte que vocês consideram suja : O LUCRO.”
As revisões dos orçamentos , que nos anos sessenta eram anuais , passaram a ser semestrais nos anos setenta , trimestrais nos anos oitenta , mensais nos anos noventa e quase semanais no inicio do século vinte um .
A industria da felicidade humana estava se transformando na industria da loucura humana .
Esta entropia veio a aniquilar a política das companhias que consistia , em geral , em contratar artistas …tomando em consideração suas personalidades , carisma e sua capacidade melódica e poética , aceitando perdas durante os dois ou três primeiros anos ate que possivelmente se tornasse um artista de sucesso .
O objetivo , ao lançar o primeiro álbum do artista , era testar a sua receptividade nas rádios , na imprensa e no mercado em geral… as perdas financeiras eram meramente uma contingência.
Um pouco mais de dinheiro seria perdido na lançamento do segundo álbum. No entanto a partir do terceiro lançamento a companhia , não somente recuperava as perdidas , mas deste momento em diante passava a ter lucro e as vezes muito lucro.
Durante o desenvolvimento deste processo o artista ia amadurecendo assim como seu publico e ambos tinham o tempo de desenvolver uma relação que podia durar para o resto de suas vidas .
Minha ideia de uma companhia de discos era de ter um grupo de artistas e que todos fossem orgulhosos de fazer parte dela porque todos estávamos com o mesmo pensamento e a mesma onda . Eu , como Seymour Stein , como Chris Blackwell , como Nesuhi Ertegun e outros não fazíamos parte do record business. Nossa especialidade era o artist business , e sobretudo o Career business – o business da carreira do artista.
Em 1980 nasceu um novo suporte o “ CD “ O som era pior do que do LP , por outro lado ocupava menos espaço nas pratileiras dos estoques mas ao mesmo tempo matava um elemento ludico essencial no processo de identificacao do artista com seu publico que era o conceito estético da capa de 12 polegadas e seus magníficos encartes.
Os advogados e os financeiros , agora responsáveis pelos destinos das gravadoras , eram somente tecnocratas e por melhor que eles fossem como tecnocratas, maior a distancia havia entre eles e os artistas .
Com o passar dos anos os artistas começaram a olhar para estes recém chegados como se olhassem para um estranho tipo de ser humano,. vindo de outro planeta e não encontravam neles interlocutores capazes de discutir os rumos de suas carreiras e muito menos negociar seus contratos .
Para se protegerem dos tecnocratas , os artistas contrataram advogados ….a partir deste momento as negociações de contratações ou renovações de contrato não envolviam mais nem o artista nem o lider criativo .
ANEDOTA DO PRINCE
Já se podia ouvir nos corredores dos conglomerados os tecnocratas dizerem que os artistas eram personagens instáveis , de pouca confiabilidade e sem nenhum senso de responsabilidade .
“……A industria fonografica seria maravilhosa se a gente não tinha que lidar com esta raça : ….os artistas …!!”
O conflito era tão grande que um importante artista me mandava uma carta emocionante na qual ele dizia “…Eh da musica que a industria nasceu….nao se pode deixar a industria matar a musica…”
Neste ambiente doentio surgiu de repente o que , a primeira vista , apareceu a solução a todos os males :  “Vamos fazer da canção a estrela e não mais o artista.”
Foram os australianos através de um programa de TV que encontraram a soluçao…. com tal sucesso que esta receita invadiu inicialmente a Inglaterra e posteriormente o resto do mundo…
A melodia tinha que ser muito acessivel , a poesia a mais convencional e seria interpretada por um grupo de pessoas escolhido por votação popular simplesmente por serem atraente e sexy. Eram ensinados a cantar , a dançar , eram vestidos por especialistas da moda e prontos a trabalhar na TV depois de ter gravado a duras penas seu CD de lançamento.
Acabava de se matar a galinha de ovos de ouro!!!! O sucesso comercial de uma canção dura 9 meses…. o sucesso de um artista pode durar anos .
O CD já em 1993 era um produto tecnologicamente obsoleto vulnerável a muitos tipos de agressão física e virtual , era portanto urgente que a industria se pusesse de acordo para adotar tecnologias modernas para o suporte do próximo futuro. Toshiba/ Warner de um lado e Sony/Philips do outro nunca chegaram a um entendimento. Cada um querendo ganhar os direitos decorrentes de suas patentes. Os anos passaram , os fabricantes de aparelhos se cansaram de esperar e o desastre bateu na porta primeiro em 1995 .
Nos paises onde as leis não tem eficácia na sua implementação…. exemplo no Brasil …..chegou primeiro …a pirataria física caseira , graças a Philips Electronics e Sony com seus equipamentos semi professionais de copia de Cds para CDs e posteriormente a pirataria industrial vindo da China.
CONTRA MAO
Os executivos das industrias norte americanas que tinham ao redor de 35 anos em 1970 , já estavam com 65 anos no inicio do século 21 ….a industria tinha se transformado numa industria madura, nao mais de ponta , de pensamento conservador que não entendeu que o futuro sempre tem razão. Em vez de processar as novas tecnologias, deveriam ter integrado elas de imediato logo de inicio. O real inimigo não são os jovens e a industria se equivocou de alvo. O inimigo nesta batalha são os fabricantes de hardware e de sofftware que vendem para a juventude os equipamentos necessários para fazer o download de musica , de filmes , de vídeo games, de pornografia.
Marginalizados pela industria, estes novos atores virtuais ,  agora condenados ao estatuto de piratas foram imediatamente identificados pela juventude como uma justa cruzada para conseguir gratuitamente o que consideravam como uma obscena a devoção ao lucro tanto das gravadoras como de seus artistas também.
O problema real é que o lobby da industria fonográfica não tem poder para enfrentar as Philips , Apple , Sony , Toshiba e tantas outras.
Entao a solução, que não foi uma solução, foi tentar fazer com que a juventude pague o pato.
Para enfrentar este desastre os tecnocratas somente sabem de uma coisa : Cortem os custos !!! Cortem os riscos!!! E em cortando os riscos eles eliminaram qualquer possibilidade de descobrir novos caminhos de musica e novos tipos de verdadeiras estrelas.
Eh improvável que o download remunerado jamais venha a compensar as pedas do CD pois a vida virtual mostra que Itunes vendeu 6 billions de musicas de 2003 até 2008 enquanto P2P movimenta 2 billions de arquivos cada mês…esta eh uma batalha perdida .
A juventude ( que era o segmento dinâmico do mercado fonográfico ) a qual tem tempo e não tem dinheiro  nunca mais va voltar a frequentar o mercado de discos convencional e isto é uma perda fundamental e irreversivel. No entanto quem tem dinheiro e não tem tempo , creio , sustentara uma industria bem mais modesta que se estabilizara talvez  50 % do que era.
Em conseqüência de todos estes fatores o lucro das gravadoras desapareceu e as conseqüências foram dramáticas :
A Warner Music que em 1999 valia 6 bi 200 milions de dolares,  foi vendida em 2005 por 2 bi 600 e hoje tem uma cotação de 1bi 600 na bolsa devalores . A EMI foi vendida a um grupo de investidores .  A Philips vendeu a Polygram para a Universal, etc.
Este desastre que podemos chamar de imobilismo , hoje , se repete no mundo das editoras de musica quando condenam as propostas da Creative Commons como o apocalipse do direito autoral enquanto deveriam compreender que , ao contrario ,  suas propostas são uma uma engenhosa maneira de salvaguardar e atualizar o direito autoral flexibilizando as regras de um jogo engessado ha muitos anos.
Nunca se gravou tanta musica e e nunca se teve tantos suportes a disposição para levar suas gravações ate o publico….
Áudio and vídeo webcasting
Digital cable
Celulares
Satélite
Ringtones
IPods
MP3
Vídeo games
etc…and etc……
Nunca a musica foi tão barata de se gravar e tao accessível….gratuitamente
Para utilizar todos estes novos suportes ….e os que ainda estão por vir , precisa se de criatividade e portanto eh indispensável que os lideres criativos da musica agarram o poder de volta em suas mãos.
…urgentemente ….eh também imperativo que se associam com os lideres criativos do mundo virtual da amanha .
No meio desta profusão de sites e blogs ( 17 milhoes eh a estimativa mais recente ) , se torna difícil ser identificado e esta situação talvez venha a sugerir que no nosso caso brasileiro , devamos desenvolver um plano agressivo para atacar o mercado internacional envolvendo as rádios internet , as empresa tipo CDbaby e Creative Commons com o apoio financeiro e logístico do BNDES e do MINC por exemplo
E o Futuro ?? , eu não tenho mais o que dizer alem do que foi dito pelos meus colegas palestrantes que foram brilhantes na suas colocaçoes ….estamos nomeio da tormenta porem para contribuir a este exercicio eu gostaria de imaginar um cenário macro dentro do qual a musica , gravada ou não , terá de encontrar seu lugar daqui ha 20 anos…
As crianças que nascem hoje inventarão um mundo tecnológico muito alem de nossa imaginação .
A intensa imigração das populações carentes em direção dos paises ricos fará com que a população branca venha a ser minoria nos seus
territorios ( …se estima que dentro deste prazo os USA os brancos so venham a representar 52 % da população total deste pais )
O billion 800 milhoes de chineses provavelmente prósperos …assim como o 1 billion 200 milhoes de Indianos em pleno progresso econômico e tecnológico ….somando se com o Japão e a Coréia do sul irão mudar dramaticamente a maneira que olhamos o Mapa Mundi ….. uma vez que os USA e a Europa não terao mais a hegemonia neo colonialista do passado …. poderão até perder parte de sua hegemonia cultural.
O dólar não será mais a moeda de transação mundial .
Por outro lado vivem espalhados pelo mundo 1 billion 200 millions de muçulmanos ( 0 , 001% poderiam ser terroristas ou seja mais de 1 milhao ) .
Morte provável do conceito do copyright , o qual eh praticamente desconhecido ou ignorado na China e na Índia , proibido pela religião muçulmana e progressivamente mais contestado pelos usuários do mundo ocidental
Aquecimento global
Escassez dos recursos naturais
Estas são meramente hipóteses entre muitas outras…posso concordar que , a primeira vista não são la muito otimistas …..no entanto a musica sempre foi mais prolífica e artisticamente prospera ..em tempos adversos …durante os terriveis momentos da ditadura brasileira por exemplo … da guerra do Vietnam ….e em tempos de grande euforia….durante o reino do Juscelino , da revoluçao de 68….como outro exemplo…! ou seja os povos precisam da verdadeira musica e de verdadeiros ídolos em momentos de grande e forte emoçoes …o mundo que nos espera será …sem a menor duvida cheio de grandes emoções….
Quero encerrar esta palestra agradecendo sua pacienca … afirmando
que o compositor , o autor , o interprete e os produtores independentes ou não , tem absoluto direito de serem justamente recompensado pelo
seu trabalho e pela felicidade que eles trouxeram ao publico …se assim o desejarem…o que não pode continuar eh esta casa da mãe Joana .
Do lado criativo chegamos ao momento atual na industria fonografica
Sem novos grandes astros
Sem novos movimentos ( BN , Tropicália , Rock brasileiro )
Sem musica clássica
Sem musica de Jazz
Com um Rock de idade avançada com seus 55 anos de vida
com um Rap na maturidade de seus 30 anos ….
Tendo para apresentar como unica novidade a musica eletrônica feita principalmente e somente para dançar
Estamos entrando num mundo onde “ small is beautiful “ continuara a conviver com “Big is beautiful “
Para “ Big is beautiful “ prosperar o líder criativo devera
1 \ aprender a entender o mundo das finanças ,
2 \ aprender a estudar e analizar os balanços financeiros ,
3 \ aprender a compreender o significado dos números dos relatórios .
4 \ tornar se impiedoso como se fosse um tecnocrata
5 \ aprender a linguagem dos conselhos de administracao
Ele devera promover uma revolução externa
1 \ convencer os acionistas e presidentes do conselho que a criatividade genuína e o planejamento a longo prazo são os únicos caminhos para uma lucratividade durável ,
2 \ convencer os acionistas e presidentes do conselho que so a qualidade traz o lucro duravel
3 \ conquistar a credibilidade e incutir confiança nos corredores de cima e de baixo
4 \ e finalmente convencer os acionistas e presidentes do conselho que os tecnocratas devem trabalhar para ele em vez dele trabalhar para eles
Para o “ small is beautiful “ continuar prosperando cada vez mais o líder criativo devera mergulhar no futuro inventando novos módulos de estratégias , novos modelos econômicos e novas maneiras de distribuir seu produto , utilizando para isto todas as oportunidades que a tecnologia cada vez mais veloz lhe oferecera…..Ele devera ser o precursor do amanha .
Os financeiros e tecnocratas trouxeram a crise econômica mundial na qual estamos vivendo e será a responsabilidade de cada um de vocês , futuros lideres criativos , que estão no inicio de suas carreiras , de se
tornar os revolucionarios que irao tirarnos fora deste imenso buraco negro .
Para terminar eu gostaria de desejar a vocês a mais bela sorte…e confesso que eu gostaria de ter uns 30 anos de idade ….hoje …..para estar , a seu lado , vencendo este fantástico desafio……
Postar um comentário

SUA RÁDIO ON-LINE, ON-TIME, FULL-TIME

Sua Rádio no Celular

AGENCIA

Rádio em Revista - uma publicação da Escola de Rádio

Comente no Face

Minha lista de blogs

RADIO DICAS

  • http://www.maquinadotempo.net/TutorialZaraRadio/Dicas-ZaraRadio.htm
  • http://marketingpublicidade.com/dicas-para-fazer-anuncios-de-radio

Linkd In